Uma dieta qualificada é pode prolongar a vida e ajudar a evitar o surgimento de diversos problemas de saúde. Segundo estudos científicos, alguns alimentos tem ação de anti-inflamatórios, podem fortalecer o sistema imunológico, e ajudar a diminuir as dores nas articulações e, evidentemente, ajudam a controlar inflamações.

E os benefícios não param por aí. Esses alimentos ajudam a combater o cansaço, ajudam no emagrecimento e em problemas cardíacos e até emocionais, como a fadiga e o estresse. Por essas e outras questões, são alimentos que merecem bastante atenção.

No texto de hoje, abordaremos os alimentos anti-inflamatórios desde o conceito até a forma correta de consumo, passando pelo funcionamento e citando a importância de um deles: o açafrão ou cúrcuma.

Quer saber mais sobre o assunto para otimizar a rotina alimentar da sua família? Traremos a seguir informações úteis sobre como adicionar esses produtos ao seu cardápio diário. Confira!

Quais são os alimentos anti-inflamatórios?

Ter uma quantidade considerável de substâncias como o ômega 3, a vitamina C, a alicina e os ácidos graxos é a principal característica dos alimentos anti-inflamatórios. Ao incluir nutrientes dessa categoria na alimentação, é recomendado complementá-la com peixes, saladas e frutas, protegendo o organismo de doenças.

Listamos 7 tipos de produtos que, segundo estudos, tem alguma ação anti-inflamatória. Veja:

  • frutas cítricas: laranja, abacaxi, tangerina, maracujá, goiaba;
  • frutas vermelhas: morango, melancia, cereja, romã;
  • frutas oleaginosas: castanhas ou nozes;
  • peixes com ômega 3 elevado: salmão, atum, sardinha;
  • sementes ricas em ômega 3: linhaça, gergelim, chia;
  • vegetais: brócolis, couve-flor, gengibre, repolho;
  • ervas aromáticas: açafrão ou cúrcuma, cebola, curry.

Outros ingredientes, como ovos, azeite extravirgem e chocolate meio amargo também devem ser ressaltados como integrantes desse seleto grupo. Na sequência, veremos como eles podem desempenhar o papel de protetores e qualificadores.

Como eles funcionam no nosso organismo?

Para falar a respeito do funcionamento das comidas anti-inflamatórias, é primordial enfatizar que a inflamação se trata de um processo natural do corpo humano. O sistema responsável pela imunidade ”responde” a irritações ou lesões por meio da liberação de histamina — substância ligada a reações imunológicas.

Consumir nutrientes com potencial para evitar essas reações equilibra o organismo. Dessa maneira, a possibilidade de surgimento de vírus, bactérias e outros males pode diminuir. Assim, não é necessário que o corpo libere tanta histamina para manter o seu funcionamento saudável.

Uma reação desse tipo pode ser definida como uma espécie de barreira do corpo para microrganismos prejudiciais não invadirem as mucosas e feridas e comprometerem a saúde. Certos alimentos têm substâncias inibidoras de respostas inflamatórias. O resultado disso? Menos inflamações!

Qual o modo ideal de consumi-los?

O primeiro passo para organizar uma dieta que possa ser de fato classificada como saudável é reduzir determinados produtos do cotidiano. Nesse sentido, não se esqueça: açúcares, carboidratos refinados, comidas processadas e álcool em excesso contribuem para inflamações.

Dito isso, é hora de mostrar como consumir os alimentos anti-inflamatórios de forma correta. Os produtos apontados anteriormente serão relembrados. Confira as dicas:

  • consumir quatro porções diárias de frutas ricas em antioxidantes e com baixo teor de açúcar (frutas vermelhas);
  • adicionar a todas as refeições os vegetais verdes, com boa quantidade de fibras e antioxidantes, ajudando a regular o aparelho digestivo e combatendo naturalmente a prisão de ventre (espinafre, brócolis, alcachofra);
  • usar cotidianamente sementes conhecidas pelo alto teor de fitonutrientes, otimizando as respostas imunológicas (chia, quinoa, sementes de girassol);
  • beber pelo menos dois litros de água a cada dia e, para melhorar ainda mais, passar longe de refrigerantes e quaisquer bebidas gaseificadas;
  • nos famosos lanches da manhã e da tarde, comer frutos secos (amêndoas, cajus, castanha-do-pará);
  • para temperar, lembrar do açafrão, do gengibre, do alho e da canela, por exemplo;
  • dar a devida relevância a gorduras saudáveis na preparação de refeições (azeite de origem vegetal, óleo de coco).

De maneira geral, deve-se ressaltar o equilíbrio. Cada caso é um caso, portanto adeque os benefícios dos alimentos às suas necessidades corporais. O exagero ao consumir alimentos anti-inflamatórios não é sinônimo de uma dieta balanceada. Alguns dos produtos que apresentamos normalmente servem como complementos de refeições, ou seja, podem ser usados de várias formas.

Por que o açafrão é tão importante?

Entre os alimentos anti-inflamatórios mais conhecidos, o açafrão ou cúrcuma sempre é lembrado. Também chamado de cúrcuma e gengibre amarelo, esse produto natural, disponível em pó ou cápsula, oferece elementos interessantes.

Mencionamos acima a possibilidade de consumir o ”gengibre amarelo” em pó ou cápsula, certo? Pois a grande vantagem de usá-lo em cápsula é a manutenção de todas as suas substâncias. Em pó, o tempero perde curcumina quando entra em contato com temperaturas quentes, reduzindo o impacto benéfico.

Conforme vimos ao longo do texto, tratar a alimentação como fator de prevenção de doenças e de melhoria de vida é um ato capaz de mudar para melhor a rotina de qualquer pessoa. Consumindo nutrientes corretamente e mantendo uma dieta equilibrada, toda sua família vive com mais harmonia e bem-estar.

E então, se interessou pelos alimentos anti-inflamatórios? Que tal saber mais sobre os poderes do açafrão em cápsula? Acesse este post e fique por dentro do assunto. Quem sabe você adiciona a cúrcuma ao seu dia a dia e passa a aproveitar os benefícios de um dos melhores produtos naturais à disposição.

Powered by Rock Convert