Os sintomas da fibromialgia, doença reumática bastante complexa e com confuso diagnóstico, são difíceis de lidar e causam extremo sofrimento aos paciente. Segundo estudos, atinge até 6% da população mundial e é caracterizada por dores generalizadas pelo corpo, cansaço, distúrbios de sono e até ansiedade.

Considerada uma condição crônica pelos pesquisadores e profissionais da saúde, a fibromialgia não tem causas definidas e pode estar associada tanto a questões genéticas quanto a traumas psicológicos.

Apesar de ter o potencial de diminuir consideravelmente a qualidade de vida do paciente, a fibromialgia é cada vez mais estudada e novas possibilidades de tratamento são apresentadas e testadas com sucesso.

No artigo de hoje, você vai descobrir como é possível contornar os sintomas com acompanhamento médico, mudanças na alimentação e até mesmo tratamentos naturais. Confira!

Definição de fibromialgia

A fibromialgia é uma patologia que provoca dores crônicas, atingindo várias partes do corpo, e não possui cura definida. No entanto, existem procedimentos que podem ajudar a aliviar os sintomas.

Essa síndrome pode afetar as articulações, os músculos, os tendões e outros tecidos moles. Além disso, o portador pode sentir outras reações, como a “névoa fibro”, que pode trazer deficiência orgânica cognitiva.

Pesquisadores apontam que 90% dos casos são em mulheres, dificultando o diagnóstico. Contudo, o que se sabe é que a fibromialgia está ligada ao funcionamento do sistema nervoso central e ao mecanismo de dor.

Sintomas da fibromialgia

Os sintomas da fibromialgia podem variar de intensidade de acordo com o organismo de cada paciente. Conheça abaixo os sintomas mais comuns.

1. Dor intensa pelo corpo

Uma pessoa com fibromialgia sofre tensões e dores constantes que se espalham por todo o corpo e podem durar dias ou meses. As articulações, os músculos e tendões geralmente são os locais mais sensíveis.

A piora pode ocorrer em casos de inflamações graves em alguma dessas partes, fazendo com que o sofrimento seja maior e mais intenso.

2. Desconforto ao toque

Para uma pessoa portadora da síndrome, um leve toque pode ocasionar uma dor intensificada, principalmente quando a sensibilidade está alterada. Isso faz com que uma simples trombada seja suficiente para sentir a parte atingida latejar.

3. Fadiga

As pessoas que sofrem desse transtorno, geralmente acordam exaustas pois não conseguem dormir e descansar. Com isso, se sentem sem energia e desmotivadas para enfrentar o dia a dia.

4. Alteração do sono

A fibromialgia causa dificuldades para dormir. Por não conseguir pegar no sono facilmente, e acordar várias vezes durante a noite, a pessoa se sente frequentemente cansada e sonolenta.  

5. Névoa fibro

Um dos sintomas mais severos é a “névoa fibro”. Trata-se de uma situação cognitiva em que o portador sofre de confusão mental e falta de concentração, provocando perda de memória branda.

Quando a dor é aumentada, normalmente a alteração orgânica é acentuada, fazendo com que o raciocínio fique mais lento e o discurso sofra retardo. Além disso, pode provocar vertigens brandas ou mais severas, dependendo da intensidade do sintoma.

Causas mais comuns da fibromialgia

Ainda que as causas não sejam totalmente compreendidas, alguns fatores demonstram que certas pessoas podem ter mais predisposição em desenvolver a síndrome. Dentre as causas mais prováveis estão:

  • genética — recorrente em pessoas que são de uma mesma família, indicando que podem haver mutações capazes de provocar a doença
  • infecções ou doenças autoimunes — um portador de vírus ou de patologias autoimunes possui mais propensão em desenvolver a fibromialgia
  • distúrbios do sono — outro fator que pode estar associado a esse transtorno são alterações de sono, que podem ser ocasionadas pela ansiedade e depressão
  • traumas — a patologia pode ser desencadeada por traumas físicos ou psicológicos, como o estresse

Apesar de afetar todo o corpo, as dores são mais intensificadas na região da coluna cervical, quadris, coluna torácica, braços e joelhos, podendo ocasionar inchaços nas mãos.

Fatores de riscos

Existem alguns fatores de risco que podem facilitar o aparecimento da fibromialgia:

  • gênero — comprovadamente a doença é mais comum em mulheres, especialmente entre as idades de 20 e 50 anos
  • histórico familiar — em que as patologias, ou até a própria fibromialgia são transmitidas de pais para filhos
  • outras doenças — reumatismo ou lúpus também devem ser levados em consideração

Tratamento natural para fibromialgia

Algumas plantas têm efeitos medicamentosos que, segundo pesquisas, ajudam a tratar e prevenir doenças. Em artigo publicado pelo Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares (Iredo), a cúrcuma tem forte poder analgésico, além de ser um excelente anti-inflamatório.

Ao notar essas propriedades, cientistas concluíram que a especiaria pode melhorar o sistema imunológico, permitir que as dores sejam amenizadas e também contribuir para o bom funcionamento do organismo.

É possível encontrar a cúrcuma na tradicional e conhecida forma de tempero ou em cápsulas.

Mas lembre-se: Antes de iniciar qualquer tratamento é imprescindível que você procure a ajuda de um profissional para que o diagnóstico seja feito.

Detectar o problema é o primeiro passo. Caso seja determinada a presença da fibromialgia, é necessário seguir indicações médicas e realizar todos os procedimentos recomendados para que você possa ter uma vida mais tranquila e saudável. Ah, e não se esqueça de fazer atividades físicas!

Quer saber mais sobre o suplemento de cúrcuma e outras plantas medicinais? Entre em contato conosco e conheça nossos produtos!